Archive for dezembro \24\UTC 2009

Feliz Natal com classe!

dezembro 24, 2009

Anúncios

Sessão “eu pegava” de Natal

dezembro 13, 2009

Pessoal, é Natal. Falta pouco, eu sei, mas tudo que eu queria neste Natal era qualquer um desses moços falando na minha orelhinha. Em inglês, em espanhol, em português, com sotaque, sem sotaque… Enfim. Nunca faço posts com imagens, mas desta vez, me rendi à tecnologia virtual. Alguém pode providenciar qualquer um deles com um laço na cabeça, endereçados para Mariana Perin?

Dave Grohl é Deus. Ele pode qualquer coisa, inclusive comigo. Toda roqueira, acredito eu, tem uma paixãozinha adolescente por ele. No meu caso, até sonhos eu já tive.

Este Deus grego não precisa de nada pra ser mais perfeito. Até no último filme que eu vi com esta pessoa, o Rock n´Rolla, ele estava mais gordinho. E nessas horas eu penso, ahhhh um gordinho desses em casa hein? Gerard Butler, vem me salvar vai?

Oi Rodrigo, você vem sempre aqui? Nossa, que calor aqui, vamos lá fora tomar um ar? Gente do céu, de todos os sonhos, este pode, quem sabe, um dia ser realidade. Claro que não. O Rodrigo Santoro é o ser mais inatingível do Brasil.

O Seth Cohen, ou melhor, o Adam Brody é o único motivo real de Mariana Perin assistir “The O.C”. Gente, esse moço tem um “quê”, uma “coisa” inexplicável. Baby, eu falaria I Love You pra você em meia hora tá?

Querido, eu sei que você ficou mal porque sua mulher te deixou (que já é ex faz tempo, a Legalmente Loira que esqueci o nome). Mas se você quiser, vem pro Brasil que eu tomo conta de você. Este loiro beldade é ícone sexy dos meus pensamentos desde os meus áureos 17 anos. Ryan Phillipe, juro que você é lindo, mesmo sendo loiro e com essa carinha de nenem. Dado importante: Este moço é viciado em quadrinhos e coleciona Action Figures. Nerd? Adoro!

Diego Luna e Gael Garcia Bernal, em dose dupla no filme Y tu Mama También, faz com que qualquer guria sonhe em tê-los juntos em sua cama. Ai papai, ai mamãe. 

É isso aí gente. Essa é a minha dica de presente de natal, ou melhor, sonho de consumo. E os moços não são apenas carinhas bonitas, todos eles são inteligentérrimos, engajados, etc, etc, etc. Vocês já sabem que eu adoro um nerd, imaginem sete?

Ai, to atrasada. Não, atrasada com a menstruação. O que eu faço?

dezembro 11, 2009

Aposto que muita gente já passou por isso, homens e mulheres. Mulheres imaginando a gestação repentina e homens com medo de suas parceiras estarem grávidas (ou enxergando-se papais com criancinhas cheias de cocô em seus braços). Eu perguntei para dez amigas diferentes e nove delas me disseram que já passaram por este tipo de situação – medo da gravidez. Algumas, depois de usar camisinha inclusive.

Mulher é um bicho tonto mesmo. Imagina só, o espermatozóide furando a camisinha, sozinho, chegando lá no útero, fecundando o óvulo e “engravidando”? Pára né? Pior as brincadeirinhas, gente pensando que espermatozóide sai correndo da canela até o útero. Essas são as mais engraçadas.

Mas existe também a zona de perigo, as transas confiantes, aquela pessoa que amamos e só por isso deixamos de lado o uso de preservativo. Aí depois, vem a frase na cabeça: Porra, devia ter usado camisinha, literalmente!

Eu sou a pessoa mais fã de camisinha que conheço. Primeiro porque não vejo diferença. Segundo, porque é muito mais limpo e higiênico. Terceiro porque nos protege de doenças nojentas como gonorréia, HPV, hepatite, crista de galo e óbvio, HIV. Além de ser uma pessoa assim, eu faço exames periódicos de 6 em 6 meses, de tão neurótica que sou. Mesmo se eu ficar 1 ano sem transar, com certeza eu continuarei a fazer todos estes testes sempre. Aliás, faz 4 meses que não faço nenhum exame, daqui há 2 meses, está na hora de fazê-los.

Mas sem hipocrisia, já transei sem camisinha e me arrependi. Errar é humano! E mais, quando se vive todos os dias com a mesma pessoa, é normal abolir o uso do preservativo. Eu já até pensei em abolir a pílula inclusive, quando eu estava casadinha e feliz.

Pior quando se é velha, se vê numa situação dessas, e ainda é irônica com si mesma: Quem é o pai? Ou quando se sai com o carinha da festa, está meio bêbada, não lembra direito do que rolou e ainda vê no facebook/orkut/twitter do carinha que ele namora? Medo!

Porém, uma estatística alta existe. Duas entre dez amigas minhas já realizaram um aborto. E este número é assustador. Mas também, não dá para julgar quem o realiza. Outro dia, conversando com a Michelle e com a Priscila, falamos sobre isso. A Pri tem um filho lindo, ela engravidou aos 22 anos (essa informação procede?) e até hoje segura a onda de ser mãe. O importante é refletir sobre o que faríamos se ficássemos grávidas.

Hoje em dia, eu morro de medo de ficar grávida. Primeiro porque, aos 27 anos, não abortaria de jeito nenhum. Mas, e se eu engravidasse de uma pessoa que eu gosto muito, ou de alguém que eu simplesmente não tenho nenhuma relação? Como seria ter um filho e ser mãe solteira nos dias de hoje? Acho que eu seria uma mãe muito bacana, dona do meu nariz, mas acho que eu anularia a figura do pai, e isso de jeito nenhum seria bom.

Por isso meninas, encape o bixinho. Meninos, eu sei que para vocês é super incômodo, mas é meio démodé essa história, então, usem camisinha. E temos mais recursos para isso: Pílula todos os santos dias e pílula do dia seguinte. Aqueles chás, historinhas, lero lero, é tudo papo pra boi dormir. Deu, comeu? Corre o risco de virar papai ou mamãe, não é?

Eu perdi a virgindade com o meu primeiro namorado e ele comigo. Acho que todas as pessoas deveriam seguir este padrão, para evitar DST ao máximo. E nessas reflexões eu vejo como estou velha e conservadora. Mulherada, não confiem em ninguém – só em vocês mesmas.

E homem é tudo canalha, portanto, se vocês ficarem grávidas, quem vai agüentar a barra são vocês e não eles. É isso aí!

Trilha Sonora: Marina Lima e Arnaldo Antunes – Grávida

Momento Descontração do Clube!

dezembro 10, 2009

Qual dessas cuecas você usaria? Qual você gostaria ver seu namorado, esposo usando? Qual você gostaria de ganhar de dia dos namorados ou natal da sua namorada?
Vamos imaginar cada um dos nossos amados ou odiados homens usando essas Cuecas Felizes, vale imaginaro chefe, o vizinho, aquele amigo  mais bobo palmeirese usando, o que vale é a imaginação ! Vai render boas risadas!

Trilha Sonora: The Skatalites – Pata Pata

Mais uma história moderna de amor.

dezembro 7, 2009

Sinceramente seria mais fácil se todo sexo tivesse o simples propósito do sexo. Imagine se você tem “vontades”. De repente, você vai lá, transa, goza e o objetivo da coisa já é atingido. Antes fosse, sonho meu! Eu to bem é de saco cheio dessa vida. É fácil pensar que a gente não se envolve, que a gente é feita de gelo. É fácil pensar “que somos mais velhas, experientes, que envolvimento é bobagem”.

Bobagem o cacete. O supérfluo só é supérfluo porque o mundo está desse jeito. As pessoas agem achando que não vão nos machucar. E de repente, essa porra de mundo moderno é a desculpa de tudo. Eu não quero um namorado cacete, eu quero amar. E quando a gente ama, tudo é tão mais fácil e mais bonito. Aí a gente encontra a pessoa amada, promete sua vida à ela e sabe o que você ganha? Uma grande indiferença. Aí, mulher começa a pensar que homem é tudo canalha e ninguém sabe o porquê. Querem saber a verdade? A minha verdade é que eu sou burra. Eu virei um “macho”, pra um único macho me fazer virar semanas me sentindo a pior mulher do mundo. E daí? Só porque você tem outrem? Ahhh vá…

Só que eu, bem trouxa, fui perguntar para alguns amigos (e até leitores) porque Ele fez isso. Por que Ele saiu comigo, tivemos a melhor noite do ano, trocamos juras de amor e promessas eternas e de repente ele some? Todos me responderam a mesma coisa: “Mariana, ele fez isso porque ele é homem”. E eu tenho que me contentar em dizer que o conheço, que Ele não é assim. Meu super herói do Paraguai.

Grande bosta ser homem. Vocês não menstruam, vocês não podem gerar filhos, vocês são uns bostas. Mas eu amo vocês. Eu o amo, e vou amar pro resto da vida, porque converso com Ele lembrando do cheiro dele. Ontem, indo para a casa da Michelle as 00h30, voltando de um show que produzi, eu bati tanto papo com Ele.

Falei do show, falei do quanto a banda está evoluindo, falei de nós, falei do nosso “pseudo” filho com o apelido mais fofo do mundo. Falei pra Ele que é normal a vida estar difícil, mas que a vida precisou estar difícil para trazer para perto dele um amor fraterno que ele sempre sonhou. E ainda disse que nossa vida é a melhor do mundo e que nosso amor só sobrevive porque é completo.

Existem amores incompletos?  E mais, por que trair? O que é traição? Porra, por que a gente sempre bate na mesma tecla e ninguém consegue tocar uma música inteira? E todos os dias eu me vejo diante de ejaculações precoces mentais simplesmente porque eu não sei mais amar ninguém. E o pior é que vários carinhas legais batem à minha porta e eu simplesmente os trato como se eu fosse macho. Cadê a minha meninice? É por isso que não o tenho mais, simplesmente porque você prefere meninas às mulheres? Então… Eu estou sofrendo feito uma camela, feito uma menina. Já não bastaram as minhas rezas, a minha fé, o meu perdão, a minha solidão – agora preciso da regressão.

Não sei mais o que fazer. Pela primeira vez, não sei como conquistar um homem. E não é vaidade, é amor. Não é você, não sou eu, não é ele, muito menos ela, ou nós todos. Não é nada, não é ninguém. É só mais uma história de sexo, amor e traição, igualzinho nos filmes.

Estou esperando o final feliz. E tendo sonhos eróticos toda noite. Eu acordo pensando nele, eu escolho a lingerie pensando em qual Ele gostaria de me ver. E comprei uma roupa especial para o nosso próximo encontro, que por mim, aconteceria amanhã, em qualquer quarto “nosso”.

Meu amor, meus leitores, minhas amigas: Minha vida é menos roquenrou, menos Sex and the City. Eu só sou uma workahoolic que desabafa em uma coluna virtual com duas amigas. Ontem, um amigo nos perguntou quantas vezes transamos por mês. Que pergunta mais ridícula! Quem lê, pensa que somos as “comedoras”, as “gostosonas”. No fundo, acho que só estamos velhas demais para sonhar com príncipes encantados.

E quando eu sonho, eu volto para o dia em que nos conhecemos de verdade, naquele apartamento minúsculo no coração da boemia de São Paulo, minha melhor lembrança de lá, depois do meu grito de liberdade.

Amor é realmente um troço complicado, sinceramente seria mais fácil se todo sexo tivesse o simples propósito do sexo.

 Trilha Sonora: Nando Reis / Skank – Sutilmente

10 motivos para votar no Clube da des(Conquista) no quesito melhor blog de 2009 n´Os melhores do Zona Punk

dezembro 5, 2009

1 – Este blog é escrito a seis mãos femininas;

2 – Somos 3 mulheres roqueiras, uma completamente diferente da outra;

3 – Não somos acéfalas;

4 – Falamos de sexo como homens;

5 – Fazemos sexo e não negamos, quer coisa mais rock que isso?

6 – Somos produtoras, não que isso seja importante, mas trabalhamos com música;

7 – O Clube possui leitores héteros e gays, mesmo com o conteúdo extremamente hétero.

8 – Precisamos de mais espaço para continuar a escrever sempre e sempre;

9 – Por que incentivamos a não hipocrisia sobre o sexo;

10 – Por que o Clube da des(Conquista) é bom pra caralho!

COMO VOTAR:

Se cadastre no site http://www.zonapunk.com.br/site/bestof, depois você vai receber uma confirmação de cadastro no seu e-mail. Clique, se logue e comece a responder o questionário. Você pode votar no Fresno, no Cine, na Rita Lee, no Charme Chulo, nas Lipsticks ou em quem você quiser pros outros itens. Mas, no item “Blog do ano”, você deve colocar nossa URL completa: http://www.clubedadesconquista.wordpress.com. Vote e contribua para que essas três moças ganhem um prêmio ou ao menos para que possamos difundir cada vez mais a teoria da desconquista feminina, com muito charme, sexo e roquenrou!

Trilha Sonora: Because the Night – Patti Smith

Preocupação de gente grande

dezembro 1, 2009

Antigamente, nossa maior preocupação em relação ao flerte era pintar as unhas de colorido, passar papel crepom ou stencil roxo nos cabelos. Nossas mães ficavam loucas e nós tingíamos a casa toda dessa cor. Os meninos gostavam – ou não, desta tinta de cabelo que saía em pouco tempo.

Hoje, nossa preocupação se resume em uma palavra: depilação! Quando se fica velha e com a vida sexual ativa, nós temos que estar depiladas o tempo todo, porque nunca se sabe quando algo vai acontecer. Acho que os meninos de ontem, que gostavam dos nossos cabelos coloridos, gostam hoje de mulheres depiladas.

Os anos “zero”, ou melhor, 2000, trouxeram à tona a depilação brasileira, famosa lá fora como “Brazilian Wax”. Porra, vocês sabem o quanto dói fazer depilação? Dói muito, muito mesmo. Ainda mais a famosa depilação “completa”, que arranca todos os pêlos da parte de baixo da região vaginal, deixando somente um bigodinho de “Hitler” para contar história.

Não agüentamos mais. Os anos 80 foram nojentos, sabemos! Mas os anos 90 trouxeram a moda de mulheres com pouco pêlo, não sem nenhum pêlo. É muito difícil nos mantermos depiladas 100% do tempo. Lâmina de barbear? Nunca! Coça demais, encrava os pêlos, dá um desespero minha gente.

Agora dizemos em nome das três: Qual mulher não se manteve peluda por promessa? Qual mulher esqueceu a depilação de lado para usar esse argumento como válvula de escape para não se envolver? Qual mulher nunca caiu nas graças de um homem com H maiúsculo que a comeu (e lambeu) com pêlos e tudo?

E a pergunta que não quer calar, homens e mulheres leitores: Que jeito de depilação vocês gostam? Bigodinho? Peludinha? Aparando os pelinhos do peru e da periquita?

Sinceramente, quando a gente ama muito um homem, a gente nem vê se ele é gordo, magro, peludo ou pelado. A gente vê além de tudo isso. Por quê então os homens vêem tantos pêlos em nós?

E mais, mulheres vêem pêlo em ovo. Adoram procurar sarna pra se coçar. E no fim, é por isso que precisamos estar depiladas 100% do tempo. Fato!

Por: Mariana, Michelle e Priscila.

Trilha Sonora: Autonomia – Dead Fish